ads

Novidades

Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5

.

Quando comecei a escrever este post não tinha ideia que ficaria tão grande. Então como manda a boa educação blogueira dividi em o post em duas partes para não cansar a leitura:
 – Preparativos
 – Após a chegada

Vamos aos trabalhos!

Muitos idosos adoram viajar e não é porque estão na melhor idade que eles não têm direito de conhecer os melhores parques da Flórida. Hoje existem muitas empresas especializadas neste tipo de turismo e elas oferecem toda comodidade.

Todos os parques estão preparados para receber este turista com respeito e facilidades que tornam a viagem deles um grande prazer.

Mas, o que pretendo aqui é dar algumas dicas para você que vai viajar com um idoso e que não tem a experiência de uma agencia de turismo, mas, quer que a viagem seja maravilhosa para todos.

Preparativos:
Escolher a época do ano:

A temperatura é um inimigo forte e difícil de ser vencido e os idosos sofrem bastante com isto. No verão as temperaturas elevadas e a alta umidade causam um desgaste físico enorme em qualquer um, só que o idoso sofre um pouco mais. Nesta época as lojas e os restaurantes ficam com o ar condicionado “bombando” e este contraste na temperatura pode atrapalhar um pouco a saúde.

O inverno também pode ter temperaturas bastante desconfortáveis no inicio da manhã e no final da tarde / noite nada de neve, mas, desconfortável. Então vocês acabam saindo com um monte de roupa tira algumas durante o dia e volta a vesti-las no final da tarde.

As temperaturas mais amenas do meio da primavera e do outono podem ser as melhores. Lembre-se que outra coisa a ser evitada são os feriados e as férias americanas.

Roupas e Calçados:
A menos que você tenha alguma reserva em um lugar que exija uma roupa mais “fina”, as roupas e os calçados devem ser  sempre os mais confortáveis possíveis para caminhada, pois, é o que você mais vai fazer por lá.
Não esqueça que algumas lojas e restaurantes deixam a temperatura do ar condicionado agradavelmente próxima do 0° C. Talvez seja necessário ter uma blusinha a mão.

Agora se você se esquecer de levar uma não se preocupe, você está no paraíso das compras.

Não é bem uma roupa, digamos que seja um acessório, mas, uma “mochilinha” básica ajuda no caso de carregar a blusa e pode ter também uma agua, um remédio ou um snack para comer durante o passeio.

Voo:
Opte por um voo non-stop (sem conexão, sem parada) evitando as longas esperas em aeroportos. Lembre-se que estamos falando de uma viajem para Orlando, talvez outros locais necessitem de uma estratégia diferente.

Um voo para Miami pode ser mais barato e com menor tempo embarcado, mas, lembre-se que de carro até Orlando ainda são mais quatro horas de viajem, após oito horas de avião.

A escolha um voo à noite é bem legal, o sono ajuda a viagem a passar mais rápido. Não se esqueça de fazer o check-in antecipado para deixar o idoso no corredor, caso ele necessite ir ao banheiro durante a noite fica bem mais fácil.

Casa ou Hotel?:
É inegável que a casa traz mais conforto. O fato de você poder fazer uma refeição especial se for o caso, ter uma geladeira, uma piscina, internet, um quarto privativo, mais banheiros e um lugar que você pode até chamar de “lar” é uma vantagem que não tem preço

O hotel também tem seus atrativos, não há necessidade de se fazer limpeza ou arrumar as camas, o café da manhã está sempre pronto quando você sai da cama, por exemplo. Se for um hotel um pouco mais simples pode acontecer de não ter elevador e a escada vai dificultar a vida. Nestes hotéis não há muita opção no café da manhã que normalmente é a única refeição.

A intimidade fica prejudicada, pois estariam todos no mesmo quarto e com um único banheiro. Para um maior conforto você teria que optar por algo mais caro e mais quartos.

Procure por casas e você vai descobrir que os preços não são tão mais caros e se estiverem em mais que uma família pagante os preços ficam ainda mais convidativos.

Saúde:
Quando eu viajo para um local mais distante e que eu vá ficar mais tempo fora de casa procuro dar uma passadinha pelo médico e ver como estão às coisas. O indicado é que o idoso também faça isso e veja com o seu médico se o tempo de voo, a quantidade de horas sentado, a pressurização e tudo que envolva uma viagem longa possam causar problemas a sua saúde. Lembre-se que você está indo para longe de casa e é melhor não ter surpresinhas.

Seguro Saúde:
Eu não viajo sem o meu.
Para mim é questão sine qua non, os custos médicos nos Estados Unidos são bem altos e ninguém quer ter uma surpresa desagradável com este tipo de coisa. Então, não vacile.

Remédios:
Os remédios de uso continuo são um caso a parte e devem ser tratados com muito carinho e atenção.

Em primeiro lugar você vai levar estes remédios e nem pense em cogitar algo diferente. Eles devem ser em quantidade suficiente para a estadia e um pouquinho a mais para imprevistos. Nunca despache, tenha-os sempre em mãos.

Se você for ficar lá por quinze dias, por exemplo, leve o suficiente para vinte (um exemplo!). Levar uma quantidade muito além da sua estadia pode chamar a atenção da imigração e eles acharem que você não está falando a verdade.

Neste caso pode acontecer de você ter que explicar muito ou em um caso bem extremo eles proibirem a sua entrada.

Muita gente fala para você levar uma receita do medicamento, já ouvi gente dizer que seria melhor se a receita estivesse traduzida para o inglês. Infelizmente disto funciona, sabe por quê? Porque o diploma dos nossos médicos não é reconhecido por lá, assim como o deles aqui.

É aquela história de revalidar o diploma que muitos países querem, inclusive o nosso.

Para comprar um remédio controlado (e é muito, super, hiper controlado) você precisa do “Medical Prescription” que somente o médico de lá vai te fornecer após a consulta.

Os remédios controlados são levados muito a serio lá, então se você perder ou acabar o remédio vai ter que se consultar com médico lá. Se você tiver um seguro viagem isto pode não ser muito problema muito grande, agora se você não tiver se prepare para desembolsar por volta de US$ 300 por uma consulta.

Mas, se você precisar de uma vitamina, uma aspirina, uma pomadinha para assadura, não se preocupe, estas coisas você encontra no Walmart, CVS, Walgreens direto nas prateleiras sem complicação.

Roteiro:
Programe a sua viagem, faça um
roteiro, reserve os restaurantes e utilize o fastpass. Tudo para facilitar a sua vida.

Não deixe de ler: Melhor idade nos parques da Flórida – Parte II

Espero ter ajudado você a se programar para realizar o seu sonho, qualquer coisa entre em contato é sempre um grande prazer poder ajudar.

E eu continuo acreditando na frase de Walt Disney, “Where dreams come true” (Onde os sonhos se tornam realidade), independente de qual seja o parque.

Então não esqueça, se você quer viajar com o Tio Marcão para “Disney” é só continuar acessando este blog.

E você pode nos seguir no Twitter: 
@Disney4Fun1 ou venha nos curtir no Facebook:facebook.com/Disney4fun.

Beijo a todos °o°.

Marco Motta

Aqui você encontra dicas, roteiros de viagem e muito mais para os parques de Orlando. Agora o melhor, é tudo grátis. Posso te ajudar a montar um roteiro de viagem, dar dicas sobre parques, restaurantes, shows e muito mais. Se quiser conversar, tirar dúvidas ou bater um papo me procure na área de contato deste blog ou escreva para disney4fan@gmail.com.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário :

Deixe seu Comentário


Top